Espelho no espelho

10/05

Mais Imagens

Details:

Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer apresenta:


A exposição Espelho no Espelho, realizada no Instituto Ling, apresenta uma série de obras inéditas do artista Carlos Fajardo, trazendo a curadoria de Henrique Xavier. As obras expostas trabalham eminentemente com um tipo de superfície muito especial: as reflexivas.


São obras marcadas pelo constante uso estético de vidros, espelhos e superfícies semirreflexivas, transparentes e coloridas, as quais são combinadas não apenas entre si, mas também associadas a fotografias de grandes dimensões, a delicados tecidos, a caixas e estruturas tridimensionais. Através deste conjunto de materiais e por meio de um jogo entre reflexões e transparências são produzidas experiências estéticas capazes de brincar, duplicar e fundir espaço, cor, arquitetura e a imagem dos próprios espectadores presentes na exposição.


Duplicar-se nos reflexos das obras de Fajardo é, também, abrir-se para uma introspecção subjetiva a partir de uma experiência estética onde a imagem mais superficial refletida produz a reflexão mais profunda do pensamento. A reflexão, na exposição, assume um duplo sentido: tanto o da reflexão ótica de uma imagem em uma superfície espelhada, como o da reflexão do questionamento subjetivo de si mesmo. A experiência do deslocamento produzida pela multiplicação de imagens no peculiar jogo de vidros reflexivos que envolvem nossos corpos, simultaneamente, exige que nos debrucemos criticamente sobre nós, pois, em tais obras, não apenas a nossa imagem foi deslocada, mas, principalmente, algo em nós mesmos. Além disto, as obras, alternando planos de vidro, espelhos e planos vazios produzem labirintos estéticos para a percepção do espectador, duplicando não apenas a sua imagem, mas o próprio campo visual como um todo, esteticamente dobrando e manipulando a arquitetura que nos rodeia.


As novas obras foram criadas especialmente para o Instituto Ling, procurando interagir entre si e com o espaço, operando como uma única grande instalação. O espectador se depara não apenas com uma série de obras autônomas, uma ao lado da outra, mas com um conjunto coeso que reflete a si mesmo em um diálogo com o seu ambiente apropriando-se, esteticamente, do espaço da galeria. Por fim, há na exposição um delicado erotismo presente nos fragmentos de corpos das imagens fotográficas. Um sutil erotismo que, também, expande-se no jogo com as tê-nues imagens presentes nas superfícies semitransparentes e semirreflexivas empregadas pelo artista.


ENTRADA FRANCA!


 


Realização: Instituto Ling


Patrocínio: Fitesa


Financiamento: Pró-cultura RS LIC - Lei de Incentivo à Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul




AÇÕES EDUCATIVAS: Escolas, universidades e grupos de visitantes podem agendar oficinas e visitas guiadas à exposição. Para informações e agendamentos, entre em contato conosco através do e-mail educativo@institutoling.org.br ou pelo telefone (51) 3533-5700.

Data: De 10 de maio a 05 de agosto de 2017

Local: Galeria do Instituto Ling

Horário: De segunda a sexta das 10h30 às 22h; Sábados das 10h30 às 20h

Carlos Fajardo

Carlos Alberto Fajardo, 1941, artista que vive e trabalha em São Paulo. Ao longo de sua carreira, participou de diversas exposições importantes no Brasil e no exterior: participou de sete Bienais de São Paulo, duas Bienais de Veneza e duas Bienais do Mercosul.  A sua obra foi analisada por críticos de arte como Henrique Xavier, Rodrigo Naves, Sônia Salzstein, Agnaldo Farias, Lorenzo Mammí, dentre outros. Desde 1996, é professor doutor do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). A Galeria Raquel Arnaud representa o artista desde 2005.

Obras

  • Detalhe de obra. Foto: Arnaldo Papallardo
  • Detalhe reflexo. Foto: Carlos Fajardo
  • Esfera refletida no vidro. Foto: Carlos Fajardo.
  • Maquete com feltro. Foto: Eugênia Fajardo.
  • Maquete. Foto: Eugênia Fajardo
  • Reflexo do artista. Foto: Wallace Masuko