Arte

  1. Jazz: história de ritmo, melodia e improviso

    Jazz: história de ritmo, melodia e improviso

    Sem estoque

    O curso Jazz: uma história de ritmo, melodia e improviso pretende fazer um passeio pela cronologia do gênero, desde o seu surgimento no início do século XX, até os dias de hoje. Você vai conhecer mais sobre esse ritmo que nasce sob a influência do blues, das work songs, do spiritual protestante e do ragtime, ouvindo boa música e aprendendo mais sobre o seu contexto histórico.

    Paulo Moreira
    Jornalista, Paulo Moreira tem 33 anos de carreira, na sua maioria dedicados à produção, redação e radiodifusão de conteúdos musicais. Atuou na Rádio 102 FM, de 1994 a 1996, produzindo o programa “Jam Session”, apresentado por Ruy Carlos Ostermann. De 1997 a 1999, exerceu crítica de música e cinema no jornal Correio do Povo e, desde julho de 1999, produz e apresenta o programa Sessão Jazz nos 107,7 da FM Cultura. Realizou cursos sobre História do Jazz e do Rock durante 4 anos dentro da programação do Studio Clio.

    Período: de 06 a 27.05

    Dia: quartas-feiras ( 4 encontros )

    Horário: das 19h30 às 21h30

  2. Uma visita ao Louvre

    Uma visita ao Louvre

    Sem estoque

    Um dos maiores e mais famosos museus do mundo é também tema do curso ministrado pelas professoras Tânia Bian e Angela Wolf. Além de oferecer um passeio pela história da Arte através do recorte que o acervo permite, o curso visa otimizar uma visita real ao Museu do Louvre seguindo a sua divisão por alas. Serão estudados roteiros pelo interior do Museu, racionalizando o tempo e facilitando a leitura e a compreensão das obras, bem como das escolas pictóricas e seus artistas.
    Tania Bian e Angela Wolf
    Tânia Bian e Angela Wolf são reconhecidas por ministrar cursos sobre História da Arte e por organizar viagens culturais aos principais museus de Arte da Europa e do Oriente. O entusiasmo e a paixão pela história “não-oficial” são características marcantes que unidas ao conhecimento dos detalhes mais íntimos da História da Arte definem o perfil das professoras Tânia Bian e Angela Wolf.

    Período: de 06 a 08.01

    Dia: de terça a quinta

    Horário: das 19 às 21h

  3. A Arte e os quatro elementos

    A Arte e os quatro elementos

    Sem estoque

    O curso A arte e os quatros elementos discorre sobre a maneira como a experiência artística tem manipulado os quatro elementos da natureza - terra, água, fogo e ar, na construção de obras. Embora o foco seja na produção contemporânea, exemplos ao longo da história da arte contextualizam e ampliam o significado da experiência atual. Cada um dos elementos, mediante suas especificidades, gera comportamentos distintos nas atitudes e nos conceitos dos artistas que os incorporam. São estudados artistas como Richard Long, Santiago Sierra, Roman Signer, Francis Alÿs, Marina Abramovich, Chris Burden, Cildo Meireles, Bill Viola, Cai Guo-Qiang, Harun Farocki, Olafur Eliasson, Bruce Nauman, Jorge Macchi, entre outros.
    Jailton Moreira
    Jailton Moreira é artista visual, professor e curador. Como artista, participou de várias exposições, individuais e coletivas, com destaque para III e V Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre - RS (2001/2005), Panorama de Arte Brasileira do MAM de São Paulo, São Paulo - SP (2001/2003/2005), “Tropicália – A Revolution in Brazilian Culture” – MAC de Chicago e Barbican Gallery de Londres (2005), V e X Salão Nacional de Artes Plásticas, FUNARTE/INAP, Rio de Janeiro - RJ (1982/1988). Como curador destacam-se a participação no projeto Rumos Visuais Itaú Cultural (1999/2003) e a exposição Convivências – 10 Anos da Bolsa Iberê Camargo, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre (2010/2011). Também criador do Torreão (1993/2009), junto com Elida Tessler, espaço de reflexão e criação de arte contemporânea em Porto Alegre.

    Período: de 27.11 a 18.12

    Dia: quintas-feiras ( 4 encontros )

    Horário: das 19h às 22h

  4. Paris no séc. XIX

    Paris no séc. XIX

    Sem estoque

    O curso apresenta o efervescente panorama da arte emergente nos idos do séc. XIX, em Paris, que se prolonga até o início do século XX, destacando principalmente as obras de Manet, Monet, Renoir, Van Gogh, Gauguin, Cezanne, entre outros artistas que marcaram os movimentos impressionistas. A atmosfera de Paris será retratada pelas obras de arte e também pela compreensão do projeto de reforma urbana de Napoleão III, que transformou as ruelas medievais estreitas em amplos boulevares.
    Tânia Bian e Angela Wolf
    Tânia Bian e Angela Wolf são reconhecidas por ministrar cursos sobre História da Arte e por organizar viagens culturais aos principais museus de Arte da Europa e do Oriente. O entusiasmo e a paixão pela história “não-oficial” são características marcantes que unidas ao conhecimento dos detalhes mais íntimos da História da Arte definem o perfil das professoras Tânia Bian e Angela Wolf.

    Período: de 03 a 24.11

    Dia: segundas-feiras ( 4 encontros )

    Horário: das 18h às 20h

  5. A arte de ver a arte – da Grécia à Modernidade

    A arte de ver a arte – da Grécia à Modernidade

    Sem estoque

    O curso proporcionará aos participantes uma visão evolutiva das grandes escolas artísticas através de seus principais expoentes, iniciando na arte grega e chegando ao modernismo. Seu objetivo é desmistificar as obras de arte com humor e com conhecimento acerca do contexto que envolveu cada movimento artístico e as suas influências. Para além de definições acadêmicas, o curso pretende explorar as curiosidades e detalhes da concepção artística.
    Tânia Bian e Angela Wolf
    Tânia Bian e Angela Wolf são reconhecidas por ministrar cursos sobre História da Arte e por organizar viagens culturais aos principais museus de Arte da Europa e do Oriente. O entusiasmo e a paixão pela história “não-oficial” são características marcantes que unidas ao conhecimento dos detalhes mais íntimos da História da Arte definem o perfil das professoras Tânia Bian e Angela Wolf.

    Período: de 03 a 24.11

    Dia: segundas-feiras ( 4 encontros )

    Horário: das 14h às 16h

  6. Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Especialmente nos últimos 15 anos, percebe-se uma transformação no conceito de crítica no campo das artes cênicas. O modelo que implicava uma apreciação valorativa, quase exclusivamente praticada por profissionais da imprensa ou da academia, está sendo substituído por outro, que visa à democratização da base crítica da arte. Nesse sentido, surgem iniciativas incentivando a produção de críticas em várias plataformas, especialmente as digitais, por parte de artistas, técnicos e mesmo público em geral. Alinhada a esse esforço surge a oficina de crítica teatral proposta por Renato Mendonça.

    A oficina se desenvolve basicamente em cinco momentos. No primeiro, oficinandos e oficineiro assistem juntos ao espetáculo do PONTO DE TEATRO 2018. A segunda etapa é em sala de aula, com uma parte expositiva e outra de debate entre os participantes sobre o espetáculo assistido. No terceiro momento, os oficineiros escrevem em casa uma primeira versão da crítica e a enviam por e-mail ao oficineiro, que as devolve com observações e sugestões. Na quarta fase, leitura aberta das críticas e discussão em aula. O quinto momento é quando as críticas, depois de revisadas pelo oficineiro, serão publicadas em plataforma digital (Facebook).

    Idade mínima de 18 anos. Convite especial a estudantes de teatro e de jornalismo.

    Inscrição gratuita!

    Pré-requisito: o aluno deverá assistir a primeira sessão do espetáculo Inimigos na Casa de Bonecas para participar da oficina. No ato da inscrição, o aluno já garante seu ingresso gratuito para assistir à peça.

    O projeto Ponto de Teatro tem patrocínio da Fitesa e financiamento do Governo RS / Sistema Pró-Cultura / Lei de Incentivo à Cultura - LIC/RS.

    Renato Mendonça
    Renato Mendonça é crítico teatral, jornalista, escritor e dramaturgo. É mestre em Artes Cênicas (2013) e bacharel em Comunicação Social - Jornalismo (1988), ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É um dos editores do site de crítica teatral AGORA desde sua fundação, em julho de 2015. É membro da International Association of Theatre Critics (IATC). Por mais de dez anos, exerceu a função de editor de Teatro no Segundo Caderno da Zero Hora. Desde 2013, coordena a Escola de Espectadores de Porto Alegre (EEPA), projeto destinado a ampliar e qualificar o público de artes cênicas inspirado nos conceitos do pesquisador argentino Jorge Dubatti.

    Como jornalista e como crítico, participou dos mais importantes festivais de artes cênicas do Brasil, como MITsp (São Paulo), Porto Alegre Em Cena (Porto Alegre), FIAC Bahia (Salvador), FILO (Londrina), riocenacontemporânea (Rio de Janeiro), Festival de Teatro de Curitiba (Curitiba), Festival Internacional de Teatro de Bonecos (Canela) e Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre (Porto Alegre), entre outros.

    Período: 08, 11 e 19.06

    Dia: Sexta, segunda e terça

    Horário: das 19h às 22h

  7. Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Sem estoque

    Especialmente nos últimos 15 anos, percebe-se uma transformação no conceito de crítica no campo das artes cênicas. O modelo que implicava uma apreciação valorativa, quase exclusivamente praticada por profissionais da imprensa ou da academia, está sendo substituído por outro, que visa à democratização da base crítica da arte. Nesse sentido, surgem iniciativas incentivando a produção de críticas em várias plataformas, especialmente as digitais, por parte de artistas, técnicos e mesmo público em geral. Alinhada a esse esforço surge a oficina de crítica teatral proposta por Renato Mendonça.

    A oficina se desenvolve basicamente em cinco momentos. No primeiro, oficinandos e oficineiro assistem juntos ao espetáculo do PONTO DE TEATRO 2018. A segunda etapa é em sala de aula, com uma parte expositiva e outra de debate entre os participantes sobre o espetáculo assistido. No terceiro momento, os oficineiros escrevem em casa uma primeira versão da crítica e a enviam por e-mail ao oficineiro, que as devolve com observações e sugestões. Na quarta fase, leitura aberta das críticas e discussão em aula. O quinto momento é quando as críticas, depois de revisadas pelo oficineiro, serão publicadas em plataforma digital (Facebook).

     

    Idade mínima de 18 anos. Convite especial a estudantes de teatro e de jornalismo.

     

    Inscrição gratuita!

     

    Pré-requisito: o aluno deverá assistir a primeira sessão do espetáculo Inimigos na Casa de Bonecas para participar da oficina. No ato da inscrição, o aluno já garante seu ingresso gratuito para assistir à peça.

     

    O projeto Ponto de Teatro tem patrocínio da Fitesa e financiamento do Governo RS / Sistema Pró-Cultura / Lei de Incentivo à Cultura - LIC/RS.
    Renato Mendonça

    Renato Mendonça é crítico teatral, jornalista, escritor e dramaturgo. É mestre em Artes Cênicas (2013) e bacharel em Comunicação Social - Jornalismo (1988), ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É um dos editores do site de crítica teatral AGORA desde sua fundação, em julho de 2015. É membro da International Association of Theatre Critics (IATC). Por mais de dez anos, exerceu a função de editor de Teatro no Segundo Caderno da Zero Hora. Desde 2013, coordena a Escola de Espectadores de Porto Alegre (EEPA), projeto destinado a ampliar e qualificar o público de artes cênicas inspirado nos conceitos do pesquisador argentino Jorge Dubatti.


    Como jornalista e como crítico, participou dos mais importantes festivais de artes cênicas do Brasil, como MITsp (São Paulo), Porto Alegre Em Cena (Porto Alegre), FIAC Bahia (Salvador), FILO (Londrina), riocenacontemporânea (Rio de Janeiro), Festival de Teatro de Curitiba (Curitiba), Festival Internacional de Teatro de Bonecos (Canela) e Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre (Porto Alegre), entre outros.




    Período: 18, 19 e 21.05

    Dia: Sexta, sábado e segunda

    Horário: Sexta e segunda das 19h às 22h, sábado das 17h às 20h

  8. Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Ponto de Teatro - Oficina de Crítica Teatral

    Sem estoque

    Especialmente nos últimos 15 anos, percebe-se uma transformação no conceito de crítica no campo das artes cênicas. O modelo que implicava uma apreciação valorativa, quase exclusivamente praticada por profissionais da imprensa ou da academia, está sendo substituído por outro, que visa à democratização da base crítica da arte. Nesse sentido, surgem iniciativas incentivando a produção de críticas em várias plataformas, especialmente as digitais, por parte de artistas, técnicos e mesmo público em geral. Alinhada a esse esforço surge a oficina de crítica teatral proposta por Renato Mendonça.

    A oficina se desenvolve basicamente em cinco momentos. No primeiro, oficinandos e oficineiro assistem juntos ao espetáculo do PONTO DE TEATRO 2018. A segunda etapa é em sala de aula, com uma parte expositiva e outra de debate entre os participantes sobre o espetáculo assistido. No terceiro momento, os oficineiros escrevem em casa uma primeira versão da crítica e a enviam por e-mail ao oficineiro, que as devolve com observações e sugestões. Na quarta fase, leitura aberta das críticas e discussão em aula. O quinto momento é quando as críticas, depois de revisadas pelo oficineiro, serão publicadas em plataforma digital (Facebook).

     

    Idade mínima de 18 anos. Convite especial a estudantes de teatro e de jornalismo.

    Inscrição gratuita!

     

    Pré-requisito: o aluno deverá assistir a primeira ou segunda sessão do espetáculo Espalhem minhas cinzas na Eurodisney para participar da oficina. No ato da inscrição, o aluno já garante seu ingresso gratuito para assistir à peça.

     

    O projeto Ponto de Teatro tem patrocínio da Fitesa e financiamento do Governo RS / Sistema Pró-Cultura / Lei de Incentivo à Cultura - LIC/RS.
    Renato Mendonça

    Renato Mendonça é crítico teatral, jornalista, escritor e dramaturgo. É mestre em Artes Cênicas (2013) e bacharel em Comunicação Social - Jornalismo (1988), ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É um dos editores do site de crítica teatral AGORA desde sua fundação, em julho de 2015. É membro da International Association of Theatre Critics (IATC). Por mais de dez anos, exerceu a função de editor de Teatro no Segundo Caderno da Zero Hora. Desde 2013, coordena a Escola de Espectadores de Porto Alegre (EEPA), projeto destinado a ampliar e qualificar o público de artes cênicas inspirado nos conceitos do pesquisador argentino Jorge Dubatti.


    Como jornalista e como crítico, participou dos mais importantes festivais de artes cênicas do Brasil, como MITsp (São Paulo), Porto Alegre Em Cena (Porto Alegre), FIAC Bahia (Salvador), FILO (Londrina), riocenacontemporânea (Rio de Janeiro), Festival de Teatro de Curitiba (Curitiba), Festival Internacional de Teatro de Bonecos (Canela) e Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre (Porto Alegre), entre outros.




    Período: 06, 10 e 16.04.2018

    Dia: Sexta, terça e segunda-feira

    Horário: das 19h às 22h

  9. Oficina de colagem com Carla Barth

    Oficina de colagem com Carla Barth

    Sem estoque

    Uma oficina pensada para quem nunca teve contato com a técnica ou para aqueles que já trabalham com imagens e que gostariam de experimentar a criação de maneira colaborativa. Explorando as possibilidades que a técnica pode oferecer, a artista Carla Barth parte da colagem para a realização de exercícios livres de composição e de criação em design gráfico. De maneira despretensiosa e divertida, os participantes irão conhecer mais sobre a técnica que passou por movimentos artísticos importantes, como o Cubismo e o Dadaísmo, e que cativou o gênio das cores e das formas, Henri Matisse.

    Carla Barth
    Formada em Comunicação pela PUCRS, estudou desenho e escultura no Atelier Livre (RS). Participou de diversas exposições coletivas e individuais, entre elas: Ateliê Aberto (SP), Museu do Trabalho (RS), Santander Cultural (RS), Galeria Laura Marsiaj (RJ), Galeria Choque Cultural (SP), CCBB Brasília, no Pavilhão das Culturas Brasileiras (SP) e no MACRS (foi finalista do concurso Jovem Artista em 2005). No exterior, participou de mostras em nos EUA, Espanha, França, Itália, Taiwan e Colômbia. Ministrou cursos e palestras sobre arte pública, processo artístico, desenho e escultura. Fez parte de publicações como Juxtapoz (EUA), +SOMA (BR), G.O.B (EUA), Clam Magazine (FR), Amelia's Magazine (UK), BIG-SUR (AR), Moloko (RU), entre outras. Trabalha com ilustração e arte aplicada para marcas e clientes como Adidas, Melissa, Absolut, Zapatilhas Puro (AR), Alcaçuz, Redley, MTV, Element BR e Santander Cultural.

    Período: 28.04.2018

    Dia: Sábado

    Horário: das 14h às 18h

  10. Poesia no Ling - Wislawa Szymborska

    Poesia no Ling - Wislawa Szymborska

    Sem estoque

    Todo mês teremos um encontro dedicado à poesia no Instituto Ling!

     Por que poesia?

     Ler poesia é uma experiência que estimula a interpretação de textos, amplia o vocabulário e provoca emoções. Segundo estudo da Universidade de Liverpool,  sua leitura afeta a área de nosso cérebro onde as lembranças autobiográficas estão contidas. Assim, os textos poéticos oferecem elementos emocionais e biográficos que potencializam a experiência cognitiva, oportunizam espaço de crescimento e nos ajudam a compreender o mundo de uma forma mais humana.

     Nesse encontro falaremos sobre os textos de Wislawa Szymborska (1923-2012), que possui uma poesia que, com precisão irônica, permite que o contexto histórico e biológico se manifeste em fragmentos da realidade humana. A polonesa recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1996.

    Uma pitada da poesia de Szymborska, para você já ir aquecendo:

     “Quando eu falo a palavra Futuro,

    a primeira sílaba já pertence ao passado.

    Quando eu falo a palavra Silêncio,

    o destruo.

    Quando eu falo a palavra Nada,

    crio algo que nenhum não-ser comporta."

     (SZYMBORSKA, As Três Palavras Mias Estranhas, 2002)

     

    Inscrições:

    Inteira: R$ 40,00

    Meia-Entrada: R$ 20,00*

    *para meia-entrada - estudantes, pessoas com deficiência e com mais de 60 anos, escreva para educativo@institutoling.org.br e solicite seu cupom de desconto. Na data do evento, apresente sua identificação.

    Pedro Gonzaga
    Pedro Gonzaga é músico e tradutor, com mais de vinte obras vertidas ao português. É também professor de Literatura Brasileira no grupo Unificado. Sua formação inclui graduação em Publicidade, mestrado em Literatura Brasileira e doutorado em Literatura. Escritor e poeta, tem quatro livros publicados e um traduzido para o francês. Palestrante de longa data, ministra ainda, há mais de dez anos, oficinas de escrita criativa. Atualmente, é colunista do jornal Zero Hora.

    Período: 20.06.2018

    Dia: quarta-feira

    Horário: das 16h às 18h