Mais Imagens

Filosofia do Vinho

Marco Azevedo e Mariane Mezzomo Pradella
Marco Azevedo é graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestrado e Doutorado em Filosofia pela mesma universidade. Médico do Hospital de Pronto Socorro (Porto Alegre/RS), é também professor na Pós-Graduação em Filosofia da Unisinos. Como médico, é especialista em Pediatria e em Medicina de Família e Comunidade. É autor do livro Bioética Fundamental (2002). Membro do GT de Ética da ANPOF. Associado à Hume Society e à SAP (Society for Applied Philosophy). Estágio Pós-Doutoral (Plumer Visiting Fellow) Saint Anne's College, Universidade de Oxford (Reino Unido) (2012-13).

Mariane Mezzomo Pradella é sommelier formada pela Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori - FISAR. É também consultora de vinhos e possui graduação em Relações Públicas, pela Universidade de Caxias do Sul.
Informações do Curso

Details:

A filosofia do vinho é hoje uma das áreas mais curiosas e recentes da filosofia aplicada. Filósofos usam o exemplo do vinho em suas investigações sobre a natureza da percepção humana, sobre as peculiaridades de nossos juízos de gosto, e também sobre alguns dilemas ligados a ética. Nestes encontros, pretendemos aliar o prazer da degustação do vinho ao prazer da reflexão filosófica. Em cada evento degustaremos diferentes vinhos sob o pretexto de debater temas de filosofia onde a bebida de Baco será o tópico central.

Período: 08.12

Dia: quinta-feira

Horário: das 19h30 às 21h30

investimento:
R$ 160,00

Encontros

SERIA O GOSTO COMPLETAMENTE SUBJETIVO?

 

A opinião de que o gosto é uma experiência subjetiva é bastante disseminada. É comum considerar o gosto como uma sensação que se origina na boca e desenvolve-se no cérebro de degustadores particulares. Bem, de fato há provas científicas hoje de que condições de iluminação, humor e até mesmo sons podem afetar nossa experiência de degustação, além de sabermos que os vinhos podem ser melhorados ou modificados pela comida. Seria isso uma prova de que não há uniformidade no gosto ou no sabor? Por outro lado, é comum dirigir críticas às opiniões dos outros, como quando dizemos que alguém tem “mau gosto” por preferir uma roupa, uma música, uma comida ou mesmo um vinho que julgamos ruim. Mas isso implica que há padrões do gosto, não é verdade? Neste encontro, provaremos vinhos diferentes e debateremos sobre se o gosto e ou sabor de um vinho está em nós ou está em algum lugar fora de nossos corpos.