PulsationsPulsações: do arquivo vivo de Sérvulo Esmeraldo

Mais Imagens

Details:

De 28 de novembro a 31 de março de 2018, o Instituto Ling apresenta a exposição PulsationsPulsações – Do arquivo vivo de Sérvulo Esmeraldo, do artista cearense falecido em fevereiro deste ano, pouco antes de completar 88 anos. A exposição mostra uma das trajetórias mais originais da arte brasileira: conhecido por seu rigor geométrico-construtivo, Esmeraldo incursionou pela escultura, a gravura, a ilustração e a pintura, tendo sido um dos pioneiros da arte cinética e autor de obras de geometria e luminosidade singulares.


A mostra, com curadoria de Ricardo Resende, traz 84 peças – entre gravuras, matrizes, desenhos, estudos, relevos, maquetes, instalações, documentos e fotografias – que fazem parte do arquivo do IAC – Instituto de Arte Contemporânea (São Paulo/SP).


Organizada a partir do arquivo de Sérvulo Esmeraldo – atualmente sob a guarda do IAC –, a exposição compreende a fase em que o artista viveu na França (1957-1980).


PulsationsPulsações joga luz sobre o rico processo criativo do artista em seus primeiros anos na França, uma fase de aprendizado, de iniciação nas técnicas da gravura em metal e litografia. Contempla os desenhos e as gravuras em metal que compõem esse período europeu, sob a influência do abstracionismo lírico que vigorava na capital francesa naquele momento, que seria uma resposta à Action Painting nova-iorquina. É acompanhada, ainda, de uma seleção de esculturas e de duas pinturas posteriores a essa fase, quando explorou a topologia das coisas e formas.


“São trabalhos definitivos para a compreensão da importância de sua contribuição para a arte brasileira. O que se vê no arquivo agora exposto é esse mesmo olhar e os mesmos gestos divagantes, que passam por todas as formas de representação artística, principalmente daquelas que não conhecemos. Manchas, ranhuras, rabiscos e linhas, pulsações das quais saem novas formas sobre o papel e sobre o espaço”, afirma o curador Ricardo Resende em seu texto curatorial. 


Organização: Instituto Ling e Instituto de Arte Contemporânea de São Paulo


Realização: Ministério da Cultura / Governo Federal


Patrocínio: Crown Embalagens

Data: de 28 de novembro de 2017 a 31 de março de 2018

Local: Galeria do Instituto Ling

Horário: De segunda a sexta das 10h30 às 22h; Sábados das 10h30 às 20h

Sérvulo Esmeraldo

Sérvulo Esmeraldo nasceu em 27 de fevereiro de 1929 no Crato, Ceará. Na infância morou no Engenho Bebida Nova, propriedade rural da família, produtora de açúcar mascavo, aguardente e rapadura. Ainda criança, fez incursões pela modelagem em barro e pequenos trabalhos tridimensionais em madeira de casca de cajá, onde reproduzia paisagens rurais. Aos 13 anos, criou sua primeira xilogravura, “Homem trabalhando com enxada”, impressa na tipografia do jornal A Ação, órgão da diocese.

Na década de 60, ganhou uma bolsa de estudos do governo francês para estudar em Paris, na École Nationale Supérieure des Beaux-Arts. Nessa época, passou a morar em Neuilly-Plaisance – onde viveu por quase 20 anos – e conheceu artistas como o argentino Julio Le Parc e o venezuelano Jesús Rafael Soto, que então davam os primeiros passos na chamada arte cinética. Deixou de se dedicar exclusivamente à gravura e passou a experimentar outras linguagens como o tridimensional e, claro, a arte cinética. Sua série mais conhecida do período é Excitáveis –- objetos feitos de acrílico, que reagem ao toque do espectador – trabalho que o destacou no cenário da arte cinética internacional.

Entre muitas exposições realizadas com sua obra nos últimos anos, destacam-se a retrospectiva “Sérvulo Esmeraldo”, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 2011, e a individual “Arquivo vivo de Sérvulo Esmeraldo”, no Instituto de Arte Contemporânea (SP), em 2014, exposição que deu origem à mostra no Instituto Ling, em Porto Alegre, em 2017.

Sérvulo Esmeraldo faleceu em fevereiro de 2017, em Fortaleza. Criou até o seu último momento de vida, pouco antes de completar 88 anos de idade, deixando um legado dos mais inquietantes da arte brasileira dos séculos XX e XXI. 

Obras

  • Sem título | 1959. Grafite e lápis de cor sobre papel | 12 x 9 cm. Coleção Instituto de Arte Contemporânea SP | Foto: Gerson Tung

  • Sem título | Déc. 1960. Aguada de nanquim | 25 x 33 cm. Coleção Instituto de Arte Contemporânea SP | Foto: Gerson Tung

  • Sequencia | 2001. Aço inox escovado | 30 x 33 cm. Coleção Instituto de Arte Contemporânea de São Paulo | Foto: Gerson Tung

  • Sem título | 1961. Matriz em chapa de metal | 6 x 3,5 cm. Coleção Instituto de Arte Contemporânea SP | Foto: Gerson Tung

  • L’oeuvre gravée (burins), 1964-1969 | Raspas de chapa de metal em pote de vidro | 11,5 cm de diâmetro x 27 cm de altura. Coleção Instituto de Arte Contemporânea SP | Foto: Gerson Tung

  • Sem título | S/d. Óleo sobre tela | 73 x 92,5 cm. Coleção Instituto de Arte Contemporânea SP | Foto: Gerson Tung