Humanidades

  1. Bloomsday: Joyce era louco?

    Bloomsday: Joyce era louco?

    James Joyce era louco? Essa pergunta foi feita pelo psicanalista francês Jacques Lacan, em seu conhecido e divulgado Seminário 23. E é essa mesma pergunta que marca a comemoração do Bloomsday no Instituto Ling, tecendo reflexões e conjecturas acerca da loucura, na vida e nas artes.

     

    Lacan interessou-se por estudar James Joyce pela peculiar relação entre o escritor, o seu processo de escrita e o fato de ele se colocar – e se situar - fora da via da psicanálise. Certa vez declarou que Finnegans Wake refletia sintomas de mania o que, na perspectiva psicanalítica, pode servir como sinônimo de loucura. A partir dessa e de outras hipóteses, o escritor e tradutor de Joyce, Donaldo Schüler, lança o seu mais novo livro em Porto Alegre: Joyce era louco?

    Em um painel que aproxima literatura e psicanálise, Donaldo Schüler e as psicanalistas Laura Benites e Fernanda Bernd discutem os limites da loucura a partir da obra de James Joyce.

    O lançamento do livro será seguido de sessão de autógrafos. A atividade acontece no auditório do Instituto Ling e a entrada é franca, sujeita à lotação do espaço.

    Editora Ateliê Editorial.

     

    Em paralelo e como prevê a tradição dessa festa literária que é o Bloomsday, a artista Elida Tessler estará ao longo de todo o dia 16 lendo e partilhando leituras do romance Ulysses, no Instituto Ling.

    Data de Início: 16/06

    Duração: 90 min

    Dias: sexta-feira

    Hórario: 19h30

    Valor: R$ 0,00

  2. Festival Cultura em Miniciclos - Literatura e Gênero | 09, 10 e 11.08 - 19h30

    Festival Cultura em Miniciclos - Literatura e Gênero | 09, 10 e 11.08 - 19h30

    Sem estoque

    Inscrições esgotadas.

    15 min antes do início da atividade serão distribuidas vagas de desistências.

    Quando Simone de Beauvoir formulou a provocativa frase “não se nasce mulher, torna-se mulher”, lançava as bases do que depois se definiu como gênero. Categoria criada pelo feminismo, o gênero nos faz compreender desigualdades construídas a partir das diferenças entre os sexos. Gênero é, portanto, construção social, enquanto sexo seria a natureza que nos diferencia, certo? Não exatamente. De lá pra cá passamos a compreender que, se o gênero é uma convenção arbitrária, o sexo é também inventado. Tornar-se homem ou mulher transita por todos os discursos da cultura. Quanto mais ousa e arrisca, desconstruindo padrões e estereótipos, mais a literatura dá voz e visibilidade aos que desafiam visões tradicionais e conservadoras de sociedade.

    A terceira edição do ‘Cultura em Miniciclos’ abordará essas questões em uma palestra de Clara Averbuck no dia 09 de agosto; em um debate com os convidados Priscila Pasko, Fernando Seffner no dia 10; e com uma apresentação de um stand-up comedy de Yheuriet Kalil e dos artistas Cassandra Calabouço e Marcelo Portuga, que foram selecionados por edital do Miniciclos.

     

     Confira quem é o curador e quem são os convidados desta edição:

    SIMONE SCHMIDT – curadora

    Doutora em Teoria Literária pela PUCRS, Simone Schmidt possui Pós-Doutorado pela Universidade Nova de Lisboa e pela UFF. Professora Associada da UFSC, pesquisadora do CNPq, atua nas áreas de literaturas portuguesa e africanas de língua portuguesa, estudos feministas e pós-coloniais, tendo publicado cerca de 80 artigos em sua área em livros e periódicos científicos. Sua pesquisa atual se dedica ao tema “Escritoras africanas e a construção de um pensamento ao Sul”.

    CLARA AVERBUCK – palestrante

    Escritora com sete livros publicados teve a obra adaptada para cinema e teatro. Escreveu para inúmeros sites, revistas e jornais e hoje é uma das editoras do site Lugar de Mulher, criado em 2014 e que foi um dos principais agentes a fomentar o debate sobre as questões de gênero no Brasil. Tem um canal no YouTube e uma dezena de projetos pretende tirar do papel até um dia desses.

    PRISCILA PASKO – debatedora

    Jornalista e escritora, é idealizadora, editora e repórter do blog Veredas (nonada.com.br/veredas), espaço que discute e divulga a literatura produzida por mulheres, que pertence ao site Nonada - Jornalismo Travessia. Também integra o Grupo de Pesquisa Permanente em Literatura de Autoria feminina de Porto Alegre, coordenado pela escritora Lélia Almeida. Priscila ainda escreve no Tumblr Parece a vida mas é real (http://pareceavidamasereal.tumblr.com/)

    FERNANDO SEFFNER – debatedor

    Docente e orientador junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na linha de pesquisa Educação, Sexualidade e Relações de Gênero, com ênfase temática nas pedagogias de construção das masculinidades. Atua em pesquisas e orientações investigando situações de vulnerabilidade a AIDS; conexões entre direitos humanos e políticas públicas de gênero e sexualidade, teorizações queer, interseccionalidade e marcadores sociais da diferença.

    DIVINA RAIO-LASER – stand-up comedy

    Considerada uma das drags mais importantes de sua geração, é atriz, cantora, publicitária e palestrante. Em 2016, foi premiada no 5º Prêmio PapoMix como drag queen destaque do ano. Há três anos apresenta e dirige o concurso de drags CoverGirl, palco por onde já passaram mais de 300 drag queens. Palestrou no Festival Path, Social Media Day, Maratona Mude e SPFW, também fez parte da exposição Iguais, da Canon. Em junho, foi destaque na 21ª Parada LGBT de São Paulo.

    Cassandra Calabouço e Marcelo Portuga são os artistas selecionados para a noite de stand up comedy pelo edital do Festival.

    Data de Início: 09/08

    Duração: 1h30

    Dias: Quarta, quinta e sexta-feira

    Hórario: 19h30

    Valor: R$ 0,00

  3. Lançamento do livro Guia de Gestão Urbana, de Anthony Ling | 24.07 - 19h

    Lançamento do livro Guia de Gestão Urbana, de Anthony Ling | 24.07 - 19h

    Caos Planejado, BEI Editora e Instituto Ling têm o prazer de anunciar o evento de lançamento do livro Guia de Gestão Urbana, de Anthony Ling, em Porto Alegre! 

    Anthony Ling, arquiteto e urbanista, vai debater com convidados os temas tratados no seu livro — o primeiro ligado ao seu trabalho no Caos Planejado (caosplanejado.com).

    O livro é um guia para as cidades brasileiras, analisando as diversas regulações aplicadas até hoje e as consequências que elas tiveram no espaço urbano, e sugerindo novos enfoques para o desenvolvimento sustentável das cidades.

    A entrada é gratuita, mediante apresentação de senha. As senhas serão distribuídas por ordem de chegada, 30 minutos antes do início da atividade, na recepção do centro cultural. 

    Ocupação total: 89 lugares.


    Download gratuito do livro:
    https://caosplanejado.com/guia

    Data de Início: 24/07

    Duração: 1h30

    Dias: Segunda-feira

    Hórario: 19h

    Valor: R$ 0,00

  4. Festival Cultura em Miniciclos - A dimensão lúdica do design e da arquitetura | 05, 06 e 07.07 - 19h30

    Festival Cultura em Miniciclos - A dimensão lúdica do design e da arquitetura | 05, 06 e 07.07 - 19h30

    A cidade pode ser alegre? Teve um tempo em que a cidade inventou a humanidade, seremos capazes de desumanizá-la? Conseguiremos desenvolver um método de projeto poético, atento às sensações e aos afetos? Conseguiremos resgatar os espaços degradados onde habita parte da alma humana, como quem resgata o sentido da humanidade? Como faremos para tornar os espaços urbanos ambientes para o desenvolvimento do homem como obra principal do universo ou de existências componíveis com infinitas formas de viver?

    Todas essas perguntas são absolutamente pertinentes no mundo atual, onde a alma se perde em meio ao desordenado crescimento das cidades, assoladas pelo capitalismo. “O ambiente construído nunca é neutro: ele pode ampliar nossa potência de agir no mundo ou contribuir para decompor o que temos de mais singular e valioso. A potência da arquitetura e do urbanismo se dá na expressão de um modo de viver, de uma cultura, de um povo; o que é exatamente o oposto da reprodução de modelos hegemônicos”, afirma a arquiteta e urbanista Iazana Guizzo, a palestrante convidada desta segunda edição. Com curadoria do arquiteto, escritor, ilustrador, compositor, músico, ator e diretor Cláudio Levitan, o Miniciclo de julho trará ainda Leonardo Brawl Márquez e Carina Levitan como debatedores. O stand-up comedy desta segunda edição será com Juliana Barros. Os artistas selecionados por edital são Ramon Ortiz e Marcelo Moura.

    Os Miniciclos são uma série de eventos que colocarão em pauta assuntos dos mais interessantes e trarão sempre convidados para palestras e debate. Também darão voz e palco ao stand-up comedy em Porto Alegre, levando humor de qualidade ao público. Nada do que será apresentado já foi visto ou ouvido, não desta forma, cheia de provocação e humor. A cada mês, um tema será abordado com a seguinte fórmula: uma palestra proferida por convidado referência no tema; um debate com convidados que representem as diversas posições sobre o assunto e uma noite de stand-up comedy, com um comediante conhecido a cada vez, acompanhado de dois outros escolhidos por edital. A aposta da LIGA Produção Cultural, criadora do projeto, é de que tudo pode acontecer, principalmente se as pessoas forem provocadas dentro e fora do palco. Tanto os convidados quanto os curadores dos Miniciclos pensam “fora da caixa” e cada um deles trará um delicioso desafio para compartilhar!

     Confira quem é o curador e quem são os convidados desta edição:

    CLÁUDIO LEVITAN - curador

    Arquiteto e Urbanista, com mestrado em Habitação Popular pela University of Newcastle-upon-Tyne, Inglaterra; especialização em Administração Pública e Planejamento Urbano. Arquiteto do Banco Nacional da Habitação (1975 - 1986) e da Caixa Econômica Federal (1986 – 1997), exerceu funções executivas, entre elas, Gerente Operacional de Saneamento, Desenvolvimento Urbano e Habitação Popular para o RS; Coordenador de Fomento da Região Sul e Chefe da Engenharia do RS. Além de arquiteto, é escritor, ilustrador, compositor, músico, ator e diretor. 

    IAZANA GUIZZO - palestrante

    Arquiteta e Urbanista, com doutorado em urbanismo pela UFRJ e IUP/Paris; Sócia-fundadora do escritório Terceira Margem: arquitetura e singularidades, RJ; Coordenadora e professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Santa Úrsula no Rio, cujo objetivo, em suas palavras, "é o da formação de arquitetas e arquitetos mais atentos ao seu próprio corpo e a alteridade, apropriados de pesquisas poéticas e ferramentas não tradicionais ao nosso campo, com o domínio de diferentes maneiras de construir e, sobretudo, engajados na produção de um mundo mais poético e democrático". Iazana tem curso técnico de dança pela Angel Vianna, RJ;

    LEONARDO BRAWL MÁRQUEZ - debatedor

    Arquiteto e Urbanista, co-fundador do TransLAB / Instituto de Pesquisa em Inovação Social, com foco na pesquisa urbana, mapeamento, gentrificação, ocupações, urbanismo hacker, acupuntura urbana, urbanismo tático e placemaking; co-fundador do projeto/movimento Raiz Urbana, com foco na produção de alimentos no ambiente urbano, integrando à rede FAO da ONU sobre Resiliência Alimentar e da Micro Feira Espaço Orgânico, bairro Rio Branco, Porto Alegre - RS; Co-Fundador da rede autônoma brasileira dos placemakers, o Placemaking Brasil, um dos 81 membros mundiais do movimento Placemaking que colaboraram com a Nova Agenda Urbana da UN-Habitat de 2020, braço da ONU que trata sobre as Cidades. É músico e integra o Fórum Permanente de Música do RS.

    CARINA SERRANO LEVITAN - debatedora

    Música e artista plástica, com graduação em Sound Arts & Design pela University of The Arts London; construtora de esculturas sonoras; trilhas sonoras e desenhos de som para cinema, audiovisual, performances e instalações, com prêmios nacionais e internacionais; curso incompleto de Arquitetura, PUC-RS; curso-vivência em Permacultura, Pirenópolis, GO; idealizadora do Ovo Festival Sonoro, projeto de experimentação musical e performance internacional, 2016; construiu a Praça do Som no Colégio Marista Champagnat, POA/RS, para o ensino fundamental e educação infantil; coordenou a Escola Caseira de Invenções, da 9ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul; participou do grupo de improvisação Unknown Devices The Laptop Orchestra, dirigido por David Toop, Londres; direção musical do programa Pandorga, exibido pela TV Brasil. 

    JULIANA BARROS - comediante

    Atriz, mãe, bartender mixologista, estudante de publicidade tem trinta anos, odeia bife de fígado, ex e ainda mora com a mãe. Juliana iniciou na comédia em 2013 fazendo seu próprio open mic em Novo Hamburgo. Em 2014 faz seu primeiro curso de stand up comedy na Casa de Teatro de Porto Alegre. No final de 2015 especializou-se em escrita cômica na Casa do Humor em São Paulo. Fundou então seu próprio stand up intitulado Tinha que ser mulher, primeiro grupo composto apenas por mulheres. 

    Ramon Ortiz e Marcelo Moura são os artistas selecionados para a noite de stand up comedy pelo edital do Festival.

    A ENTRADA É FRANCA. AS INSCRIÇÕES DEVEM SER FEITAS NESTE LINK.

    Data de Início: 05/07

    Duração: 1h30

    Dias: Quarta, quinta e sexta-feira

    Hórario: 19h30

    Valor: R$ 0,00

  5. 19º Encontro de Violoncelos do RS - O coaching aplicado ao desenvolvimento da carreira para músicos | 11.07 - 18h30

    19º Encontro de Violoncelos do RS - O coaching aplicado ao desenvolvimento da carreira para músicos | 11.07 - 18h30

    A palestra com o coach de carreira e músico violinista André Meneghello, que integra a programação do 19º Encontro de Violoncelos do RS, irá abordar a questão da orientação vocacional e do desenvolvimento de carreira para músicos e estudantes de música. Através de uma reflexão sobre questões como: habilidades, talentos, inteligências múltiplas e valores serão tratados aspectos do autoconhecimento que levam a uma maior clareza para o adequado planejamento e ação para o desenvolvimento da carreira musical, como enfoque na metodologia do coaching.

    André Meneghello Coach Vocacional e Mastercoach de carreira pelo Instituto MS de Coaching de Carreira, coautor do livro: Construa o seu caminho! Você está construindo o seu? pela Editora Conquista. Bacharel em violino pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro- UNIRIO, sob orientação do professor Paulo Bosísio. Participou de diversas orquestras como, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Studio Spiller em Buenos Aires, Orquestra de Câmara da Ulbra e Orquestra de Câmera do Theatro São Pedro de Porto Alegre. Foi professor de diversos Festivais de música, entre eles, Festival Internacional de Música Colonial de Juiz de Fora (MG), Festival Música nas Montanhas em Poços de Caldas (MG), Festival Internacional SESC de Música, em Pelotas e Festival de Música de Caxias do Sul. Como professor atua também em projetos sociais e culturais ligados a Universidade de Caxias do Sul e a Unisinos. Atualmente é Spalla da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul e primeiro viola da Orquestra Unisinos Anchieta, coordenador do Projeto Orquestra Jovem do Recreio da Juventude-UCS e atua como Coach com foco na orientação vocacional e direcionamento de carreira. 

    A entrada é franca e as senhas serão distribuídas, por ordem de chegada, 30 minutos antes do início da palestra.

    Data de Início: 11/07

    Duração: 60 minutos

    Dias: Terça-feira

    Hórario: 18h30

    Valor: R$ 0,00

  6. 19º Encontro de Violoncelos do RS - Palestra Neurociências e performance musical | 10.07 - 18h30

    19º Encontro de Violoncelos do RS - Palestra Neurociências e performance musical | 10.07 - 18h30

    A palestra “Neurociências e Performance Musical”, que integra a programação do 19º Encontro de Violoncelos do RS, apresenta e fomenta a discussão acerca das contribuições dos conhecimentos neurocientíficos na construção da Performance Musical, com especial atenção ao cérebro dos violoncelistas e instrumentistas de cordas. Busca-se contemplar a complexidade da manifestação musical, articulando saberes e práticas interdisciplinares intrínsecos ao desenvolvimento cognitivo e o contexto sociocultural. 

    Conhecimentos neurocientíficos têm muito a enriquecer a pedagogia da Performance. Expressar-se através da música inclui a capacidade de poder interpretar ou criar a sua versão para uma obra, imprimindo um caráter pessoal e transmitindo algo de si mesmo ao ouvinte. Da produção à recepção, existe um longo caminho, cujo objetivo principal, conscientemente ou não, é a aquisição de técnica em busca da expressividade do discurso musical, elemento refletido no fenômeno performático. É sabido que a prática deliberada é parte fundamental na concepção da performance, porém, o que se defende, é que essa prática evite a repetição mecanicista e inexpressiva, tão comuns no estudo do instrumento e da voz. A plasticidade cerebral reage a estímulos de diversas naturezas, sejam eles motores, sejam puramente mentais, no que o fazer musical possui extraordinário impacto.

    Luciane Cuervo é Bacharel em Música, Mestre em Educação e Doutora em Informática na Educação pela UFRGS. Docente no Departamento de Música do Instituto de Artes da UFRGS.

    A entrada é franca e as senhas serão distribuídas, por ordem de chegada, 30 minutos antes do início da palestra.

    Data de Início: 10/07

    Duração: 90 minutos

    Dias: Segunda-feira

    Hórario: 18h30

    Valor: R$ 0,00

  7. Festival Cultura em Miniciclos - Colecionismo de Arte | Dias 07, 08 e 09.06

    Festival Cultura em Miniciclos - Colecionismo de Arte | Dias 07, 08 e 09.06

    A arte de colecionar arte é um assunto pouco discutido no Brasil. O colecionismo é envolto por uma aura misteriosa, por vezes carregada de preconceitos ou de exageros românticos. O Miniciclo Colecionismo e Arte pretende desmistificar e problematizar o ato de adquirir, organizar e preservar obras de arte. Um tipo de compra, muito específico, que escapa da definição de consumo, pois as grandes obras vão além da vida dos seus proprietários. Afinal, de onde surgem os colecionadores? Quais os critérios de suas escolhas? Porque eles são considerados como a peça mais poderosa no jogo de xadrez da arte contemporânea? Essa e outras questões serão desdobradas em um debate entre dois colecionadores e em uma palestra com uma pesquisadora, analisando o colecionismo à partir da antropologia. Finalmente, o assunto será expandido e explodido em uma apresentação de stand-up comedy.

    ENTRADA FRANCA! As vagas são limitadas e devem ser reservadas em https://pt.surveymonkey.com/r/G92D3B6

    O primeiro Miniciclo tem curadoria de Lucas Ribeiro Pexão, editor de revistas e portais e colaborador frequente de diferentes publicações ligadas à cultura. No cenário da arte contemporânea, dirigiu as galerias Adesivo, LOGO e Fita Tape, com a qual segue trabalhando, e foi curador de mais de cem exposições, incluindo duas mostras internacionais em museus. Participou de feiras de arte como a SP-Arte, ArtRio e Scope - Miami e colaborou com coleções de instituições como Itaú Cultural, Coleção Banco Espírito Santo, Instituto Figueiredo Ferraz e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

    07 de junho, 20h – palestra com Dayana Zdebsky de Cordova

    Antropóloga, mestre pela Universidade Federal do Paraná e doutoranda pela Universidade Federal de São Carlos – através da qual desenvolve uma pesquisa etnográfica sobre o colecionismo e o mercado brasileiro de arte contemporânea, Dayana pesquisa arte contemporânea desde a graduação, passando por ações de arte de/na rua; editais de fomento à cultura e a formação institucional do artista. Como produtora, atuou em diferentes projetos relativos às artes contemporâneas cênicas e visuais. É coautora do livro “Conversas sobre arte” (2015), com entrevistas com diferentes atores das artes visuais residentes em Curitiba.

    08 de junho, 20h – Debate com Justo Werlang e Sílvio Frota

    Justo Werlang é colecionador de arte e atua como voluntário em instituições culturais. É diretor presidente da Fundação Iberê Camargo desde dezembro de 2016 - tendo participado de sua criação em 1995. Atualmente dirige a 33ª Bienal de São Paulo, da qual foi diretor vice-presidente das 29ª, 30ª, 31ª e 32ª edições. Participou da criação da Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul, em 1995, da qual é membro do Conselho de Administração tendo presidido a 1ª e 6ª Bienal do Mercosul. O cearense Sílvio Frota é empresário do setor financeiro e imobiliário no ramo da construção de shopping center. É conselheiro do Instituto Volpi e presidente do Instituto Paula e Silvio Frota. Colecionador de arte, mais precisamente de fotografia e pintura, possui uma das maiores coleções de fotografia do Brasil. Seu acervo ultrapassa duas mil obras. É o financiador e diretor do único Museu da Fotografia do Brasil, localizado em Fortaleza.

    09 de junho, 20h - Stand-up comedy com Lucas Sampaio / Convidados selecionados por edital: Mateus Sigolo e Julia Wisch

    Lucas Sampaio participou de diversos cursos e workshops ao longo de sua carreira como ator. Esteve no Odin Week Festival 2011 em Holstebro, na Dinamarca. Foi apresentador do canal OCTO, do Grupo RBS, participou de curtas e series de TV em produções da Casa de Cinema de Porto Alegre, do projeto Coisas Que Porto Alegre Fala, e em 2015 estreou o solo de comédia ‘Histórias de um cara suado’, no qual assina texto e direção. Mateus Sigolo e Julia Wischral são os artistas selecionados para a noite de stand-up comedy pelo edital do Festival.

  8. 18º Encontro de Violoncelos RS - Palestra Neurociências e Performance Musical

    18º Encontro de Violoncelos RS - Palestra Neurociências e Performance Musical

    Atividade que integra a programação oficial do 18º Encontro de Violoncelos RS, a palestra “Neurociências e Performance Musical” apresenta e fomenta a discussão acerca das contribuições das Neurociências na construção da Performance Musical, com especial atenção ao cérebro dos violoncelistas e instrumentistas de cordas. Busca-se contemplar a complexidade da manifestação musical, articulando saberes e práticas interdisciplinares intrínsecos ao desenvolvimento cognitivo e o contexto sociocultural. Conhecimentos neurocientíficos têm muito a enriquecer a pedagogia da Performance. Expressar-se através da música inclui a capacidade de poder interpretar ou criar a sua versão para uma obra, imprimindo um caráter pessoal e transmitindo algo de si mesmo ao ouvinte. Da produção à recepção, existe um longo caminho, cujo objetivo principal, conscientemente ou não, é a aquisição de técnica em busca da expressividade do discurso musical, elemento refletido no fenômeno performático. É sabido que a prática deliberada é parte fundamental na concepção da performance, porém, o que se defende, é que essa prática evite a repetição mecanicista e inexpressiva, tão comuns no estudo do instrumento e da voz. A plasticidade cerebral reage a estímulos de diversas naturezas, sejam eles motores, sejam puramente mentais, no que o fazer musical possui extraordinário impacto. 

    Ministrante:

    Luciane Cuervo é professora do Departamento de Música da UFRGS, recentemente realizou estudos sobre musicalidade humana na University College of London com o Dr. Graham Welch, como pesquisadora honorária visitante. Vice-líder do EDUCAMUS – Grupo de Estudos e Pesquisa em Música e Educação (PPGEDU/UFRGS; CNpq), coordenou o projeto interdisciplinar “Articulações entre Música, Educação e Neurociências: propostas para Ensino Superior” (PROPESQ/UFRGS), o qual contou com parcerias de pesquisadores das áreas de Música, Educação, Medicina, Fisiologia e Neurociências. Pelo terceiro ano consecutivo, em 2016, foi palestrante convidada da área da música na Semana Nacional do Cérebro, evento mundial que visa popularizar os conhecimentos neurocientíficos para a comunidade. Suas pesquisas em andamento, em caráter interdisciplinar, congregam interesses acerca da cognição musical. Intérprete de música antiga e contemporânea, realizou diversas estreias mundiais de compositores brasileiros, tendo sido indicada ao Prêmio Açorianos na categoria Revelação pelo CD Sonetos de Amor e Morte (FUMPROARTE). 

    Parceria: Instituto Ling e 18º Encontro de Violoncelos RS

    Data de Início: 06/07

    Duração: 90min

    Dias: 06/07/2016

    Hórario: 20h

    Valor: R$ 10,00

  9. Seminário Conversas sobre Tecnologia, Dança e Corpo

    Seminário Conversas sobre Tecnologia, Dança e Corpo

    Nos dias 08 e 09 de novembro, a Muovere Cia de Dança Contemporânea promove o Seminário Conversas sobre Tecnologia, Dança e Corpo, no Instituto Ling. A atividade integra o projeto Webcoreô, vencedor do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014, que também inclui um espetáculo que estreia no dia 16 de novembro, em comemoração aos 27 anos do grupo.

    O seminário traz a Porto Alegre a Profa. Dra. Ivani Santana (UFBA), principal referência no Brasil na pesquisa em dança com mediação tecnológica, para discutir sobre as relações entre criação artística, tecnologia e corpo. Serão dois dias de palestras e debates com Ivani, fomentando um espaço de discussão e trocas entre comunidade artística, acadêmica e interessados em temas da atualidade. A palestrante trará um panorama sobre a dança com mediação tecnológica, com ênfase em processos de criação via internet.

    Destinado a estudantes, profissionais e pesquisadores da dança, teatro, artes visuais e comunicação, além de público em geral, o seminário ocorrerá nos dois dias das 14h às 18h e fornecerá certificado aos participantes.

    As inscrições, gratuitas, devem ser realizadas através do email muovereciadedanca@gmail.com.

    Outras informações: facebook.com/MuovereCiadeDancaContemporanea

    Data de Início: 08/11

    Duração: 08 horas

    Dias: 08 e 09/11/2016

    Hórario: 14h às 18h

    Valor: R$ 0,00

  10. Bloomsday – James Joyce e as Vanguardas

    16/06
    Bloomsday – James Joyce e as Vanguardas

    Bloomsday é uma celebração que acontece, anualmente, em mais de 40 países em homenagem à obra literária “Ulisses” do escritor irlandês James Joyce. O romance narra um único dia da vida de seu personagem principal, Leopold Bloom, o dia 16 de junho de 1904. A comemoração do Bloomsday iniciou-se em 1924 na cidade de Dublin, cenário onde se passa a história, e se espalhou pelo mundo ao longo dos anos.

    No Instituto Ling, o Bloomsday será comemorado com uma programação especial constituída de artes visuais, música e literatura; numa noite dedicada à Joyce e às vanguardas. Ouviremos sons raramente executados, veremos desenhos se desmancharem em água, ilhas flutuantes. Utopias. Delírios. Risos.

    Outra atração do Bloomsday será uma intervenção inédita da artista Elida Tessler na galeria do Instituto Ling, com entrada franca, e visitação apenas no dia 16 de junho de 2016.

    Programa Bloomsday - James Joyce e as Vanguardas

    Ingressos disponíveis  

    Música: Transverso Espectral - Jeancarlo Leismann e Leandro Benites

    JOYCOSIDADES: Donaldo Schüler

    Música: Joquer cidades

    JOYCEUTOPIA: Edson Sousa

    Música: Séries inéditas

    JOYDELÍRIOS: Laura Benites

    Música: Cosmo espectral

    L´IRLANDAIS: DO PUB À BIBLIOTECA: Elida Tessler

    Música: A natureza ama ocultar-se

    Data de Início: 16/06

    Duração: 90 min

    Dias: Quinta-feira

    Hórario: 20h

    Valor: R$ 40,00